27 agosto 2017

Representação madeirense foi à Suíça marcar presença no Capítulo da "Ordre de la Channe Valaisanne"


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira marcou presença no Capítulo da "Ordre de la Channe Valaisanne", que se realizou a 26 de Agosto, na região de Valais, Suíça.

Estreito de Câmara de Lobos, 27 de Agosto de 2017.

"Uma vez mais a representar a AMC/CGM, sempre com o mesmo entusiasmo tanto da minha parte como também da parte dos membros e amigos da Confraria que recebe. Depois de subirmos em funicular até ao cimo de uma montanha e acolhidos num lindo restaurante de montanha, que faz parte de um dominio de estância de esqui, a cerca de 2300m, o Capitulo "Chapitre de l’Authentique Raclette du Valais AOP", da Ordre de la Channe Valaisanne, numa primeira parte foi mais cerimonial e oficial com a cerimónia das entronizações. 
Continuou com a apresentação e degustação de alguns produtos regionais para terminar com a raclette, que é o produto que defende esta confraria, juntamente com os seus vinhos desta região da Suíça. A região do Valais que é uma das regiões vinicolas mas importantes da Suíça."

Lino de Jesus Dionisio











Confraria Madeirense vai à Bélgica participar em encontro da congénere da genebra e dos caracóis

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira desloca-se no próximo fim de semana à Bélgica, à região da Valónia onde irá participar no XXII Capítulo da “Confrérie du Peket de Namur et de ses Escargots“.

O encontro irá realizar-se no dia 2 de Setembro, na cidade de Namur, Capital de Distrito e Província de Namur no sul da Bélgica.

Segundo uma nota de imprensa da Confraria, a promoção da gastronomia atlântica da Madeira e do destino turístico Madeira serão promovidos pela confraria na região da Valónia no Sul da Bélgica.

Viagem à Bélgica para participar no Capítulo da "Confrérie du Peket de Namur et de ses Escargots"


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira desloca-se no próximo fim-de-semana à região da Valónia, na Bélgica, onde irá participar no dia 2 de Setembro no XXII Capítulo da "Confrérie du Peket de Namur et de ses Escargots", que se realizará na cidade de Namur,  Capital de Distrito e Província de Namur. 
A promoção da gastronomia atlântica da Madeira e do destino turístico Madeira serão promovidos pela confraria na região da Valónia, no Sul da Bélgica.

Estreito de Câmara de Lobos, 27 de Agosto de 2017.

25 agosto 2017

Festa do Vinho - 27 de Agosto a 10 de Setembro


A Festa do Vinho da Madeira é um dos cartazes turísticos do destino Madeira que presta tributo ao precioso néctar e à sua incontestável importância socioeconómica, certame a decorrer entre os dias 27 de agosto a 10 de setembro.

Por altura das vindimas, que acontece em finais de agosto e inícios de setembro), este evento procura recriar velhos hábitos da população madeirense associados aos seculares preceitos das lides vitícolas.
Os festejos deste evento que se realiza desde o fim dos anos setenta do século passado iniciam-se no Funchal e incluem a Semana Europeia de Folclore, decorações, exposições e quadros vivos alusivos ao vinho e suas lides e espetáculos diversos de música ligeira e tradicional.
A encerrar esta Festa realiza-se no Estreito de Câmara de Lobos a Festa das Vindimas. Descubra mais sobre o que esperar das Festa do Vinho da Madeira:

Sábado
Na manhã de Sábado as atenções viram-se para o Estreito de Câmara de Lobos, onde se realiza a Festa das Vindimas. Ali, numa quinta madeirense, acontece a vindima, seguida de cortejo etnográfico que conta com a participação de um vasto número de grupos de folclore e etnografia. Após o cortejo, é recriada a pisa das uvas, de participação livre, num lagar tradicional tudo envolto num ambiente de festa onde não faltam a animação musical e a gastronomia regionais.

Outras iniciativas que compõem o cartaz:

Semana Europeia de Folclore
A Semana Europeia de Folclore, iniciativa dinamizada pelo Grupo de Folclore e Etnográfico da Boa Nova, é um festival de folclore que tem por objetivo promover um convívio intercultural e dar a conhecer realidades etnográficas, e conta com a participação de grupos nacionais e estrangeiros.

Vindima ao Vivo

Na manhã de Sábado as atenções viram-se para o Estreito de Câmara de Lobos, onde se realiza a Festa das Vindimas. Ali, numa quinta madeirense, acontece a vindima, seguida de cortejo etnográfico que conta com a participação de um vasto número de grupos de folclore e etnografia. Após o cortejo é recriada a pisa das uvas, de participação livre, num lagar tradicional tudo envolto num ambiente de festa onde não faltam a animação musical e a gastronomia regionais.

Animação de rua

A baixa da cidade do Funchal, mais concretamente o passeio pedonal da Avenida Arriaga, é preenchido com diversas decorações que incluem inúmeras alfaias vitícolas (lagar, pipas, barris, cestos de vindima, meios de transporte tradicionais), quadros vivos e figurantes que recriam as lides do vinho na Madeira (pisa da uva, recriação de usos e costumes regionais por parte de artesãos), gastronomia, mostra e prova de vinhos madeirenses e exposição de artesanato regiona e ainda atuações por parte de grupos de folclore regionais.

Saiba mais sobre as demais iniciativas dinamizadas no âmbito da Festa do Vinho da Madeira a decorrer na Praça do Povo em: http://www.madeirawinefestival.com/pt/


24 agosto 2017

Terrantez: The fifth element

Terrantez is a rare grape variety which makes unique wines and that Madeira wants to save from extinction.

Back in December 2014, a lot of several bottles of different Madeira wines were up for bids at Christie’s, the famous auction house in New York. One of those bottles was described as the oldest one in the world. The year is of 1715 and the wine was aged for over a century and half in barrels before it was bottled. The lot belonged to Braheem Kassab, a Syrian embroidery trader who purchased a great selection of Madeira Wines. The wine was a 1715 JCA and CA/Kassab Terrantez. But the most impressive of this story, besides the age of the wine, is its price: The bottle was sold for 26.950 dollars (around 24 thousand euros).

At the same auction there were other successful stories, such as the sale of a Terrantez Reserva of 1820, a lot of 4 bottles were sold at 23.275 dollars (around 21 thousand euros). The wine originated from a family reserve, one of the many which existed in Madeira back in the XIX century.

It is also worth recalling that at that very same auction, other bottles were also sold such as a HM Borges of 1760 at 10.413 dollars (around 9 thousand euros). Henrique de Menezes Borges became famous for his aged wines, some of which are still up for bids at auctions.

This year the auction is scheduled for November at the same auction house and will include another bottle of Madeira Wine. The year is 1795 and the wine was bottled at the beginning of the XX century. This harvest is a well-known one, possibly because it started being consumed when, during the Napoleonic Wars at the beginning of the XIX century, British forces settled on the island of Madeira. Oenologist Francisco Albuquerque explains that there are five references of this year available on the market, bottled by different companies.

For instance, the National Wine Cellar, which serves as a price guide, is currently selling a 1795 Terrantez Companhia Vinícola da Madeira for the price of 3.950 euros.

But at the wine cellar there are other bottles of the Terrantez grape variety of more recent harvests and a price range which is still worthy of mention: 264 euros for Blandy’s 1976; 195 euros for a Cossart 1977 or even a D’Oliveiras 1988 for 130 euros, just to mention a few.

All these stories refer to Terrantez wines.It’s a white grape the same as Malvasia, one of the two most noble wines of Madeira. However, contrary to the Malvasia which is widely cultivated, the Terrantez fields have been gradually disappearing. Therefore wines from this grape variety are highly valued. But that is also due to the fact that Terrantez produces some of the best Madeira Wines ever made.

At presentations carried out to hundreds of tourists or during promotional campaigns throughout the World, it’s common to say that there are four main grape varieties which are used to produce Madeira Wine: Verdelho, Sercial, Bual and Malvasia. Terrantez is the fifth element.

Francisco Albuquerque recalls that some of the great Madeira Wines, “those which made us internationally famous, are produced from the Terrantez grape variety.”

Due to their history and mainly due to their commercial value, the Regional Government of Madeira has to stimulate the cultivation of Terrantez. In order to do so, technical and financial aid is provided to wine producers.

Paula Cabaço, president of the Madeira Wine Institute, recalls that “it’s an extremely traditional grape variety” and emphasizes its increased demand as well as the many requests for information by journalists and professionals. Oenologist Francisco Albuquerque views this as a “smart move”, which will make way to explore a niche within the Madeira Wine market.

Technical support will be ensured throughout all the stages of the production process as, to a certain extent, Terrantez is a delicate grape. Paula Cabaço explains that this grape variety renders fewer kilos per square metre than the other varieties do. The grape bunches have a very fine encasing. “If during the maturing stage the conditions aren’t ideal”, such as being affected by the humidity associated to the heat, the grapes can become infected with fungi which cause them to rotten. Francisco Albuquerque agrees this is a “complicated grape variety”.

But when the production is carried out without any problems, Francisco Albuquerque has no doubts: “It produces exceptional wine”. Paula Cabaço also refers to it as “top-quality wine”.

The oenologist mentions that “they are possibly one of the most particular and complex wines of Madeira”. It’s a wine that is defined due to its “sweet attack and a very dry aftertaste”. He also refers that locally, Terrantez wines have won many prizes: “No one is indifferent to these wines because the after taste is simply magnificent”.

Author: Paulo Santos | Photos: Miguel Nóbrega
Fonte: Essential Madeira Islands

Mostra do Bolo do Caco e do Pão Caseiro tem nova data



A iniciativa acontece a 5 de Outubro no Funchal.

A direcção da Casa do Povo do Imaculado Coração de Maria acaba de informar a nova data para a realização da I Mostra do Bolo do Caco e pão caseiro da Madeira.

Inicialmente prevista para o dia 21 de Agosto, a iniciativa acabou por ser cancelada devido à queda do carvalho no Largo da Fonte, no Monte.

Sabe-se agora que o mesmo evento foi remarcado para o próximo dia 5 de Outubro nos Jardins de Santa Luzia.

De acordo com a organização, e tal como acontece em certames do género, o objectivo é divulgar dois dos mais apreciados produtos regionais - o Bolo do Caco e o Pão Caseiro através de uma mostra onde seja possível apreciar as iguarias.

Fonte: Diário de Notícias da Madeira

Terrantez: O quinto elemento


O Terrantez é uma espécie de casta perdida, que faz vinhos únicos e que a Madeira quer salvar da extinção.

No leilão da famosa casa Christie’s, em Nova Iorque, em Dezembro de 2014, foi posto à venda um lote de vinhos que incluía várias garrafas de diferentes Madeira. Uma dessas garrafas era descrita como a mais antiga existente no Mundo. O ano é 1715 e o vinho envelheceu durante um século e meio em barricas, antes de ser engarrafado. O lote pertenceu a Braheem Kassab, um comerciante de bordados sírio, que adquiriu uma grande coleção de vinhos Madeira. O vinho era um JCA e CA/Kassab Terrantez, 1715. Mas o mais impressionante desta história, além da idade do vinho, é o preço: A garrafa foi vendida por 26.950 dólares (cerca de 24 mil euros).

No mesmo leilão houve outras histórias de sucesso, como a venda de um Terrantez Reserva de 1820, cujo lote de 4 garrafas custou 23.275 dólares (cerca de 21 mil euros). O vinho era oriundo de uma reserva familiar, das muitas que no século XIX existiam na Madeira.

Mas também vale a pena recordar que nesse mesmo leilão foram vendidas outras garrafas, como um HM Borges, de 1760, por 10.413 dólares (cerca de 9 mil euros). Henrique de Menezes Borges, ficou famoso pelos seus vinhos envelhecidos, alguns dos quais ainda são disputados em leilões.

Este ano, no leilão previsto para Novembro, na mesma casa leiloeira, deverá estar de novo uma garrafa de Madeira. O ano é 1795, e o vinho foi engarrafado no início do século XX. É uma colheita que se tornou mítica, talvez porque tenha começado a ser bebida quando, durante as Guerra Napoleónicas, no início do século XIX, forças britânicas se instalaram na Madeira. Francisco Albuquerque, enólogo, explica que existem ainda cinco referências deste ano no mercado, engarrafadas por diferentes companhias.

A título de exemplo, a Garrafeira Nacional, que serve de referência para o valor dos vinhos, tem à venda um Terrantez Companhia Vinícola da Madeira, colheita de 1795, pelo valor de 3.950 euros.

Mas na garrafeira estão outros Terrantez, de anos mais recentes e com uma gama de valores ainda assim digna de nota: 264 euro para um Blandy’s de 1976; 195 euros para um Cossart de 1977; ou ainda um D’Oliveiras de 1988, por 130 euros, apenas para referir alguns exemplos.

Todas estas histórias referem-se a vinhos Terrantez. É uma casta branca e par da Malvasia, uma das duas mais nobres do vinho da Madeira. Mas ao contrário da Malvasia, que é largamente cultivada, os campos de Terrantez foram desaparecendo. Por isso os vinhos desta casta são altamente valorizados. Mas isso acontece também porque as uvas Terrantez dão alguns dos melhores Madeira de sempre.

Nas apresentações feitas a centenas de turistas, ou em ações promocionais pelo Mundo, é comum dizer-se que há quatro castas principais que fazem o Vinho Madeira: Verdelho, Sercial, Bual e Malvasia. A Terrantez será o quinto elemento.

Francisco Albuquerque lembra que alguns dos grandes vinhos da Madeira “aqueles que nos fizeram mundialmente famosos são da casta Terrantez”.

Por causa da sua história, e sobretudo do seu valor comercial, o Governo Regional da Madeira que estimular o cultivo de Terrantez. Para isso foi decidido um conjunto de apoios técnicos e financeiros, que incentivem os viticultores e apostar nesta casta.

Paula Cabaço, presidente do Instituto do Vinho da Madeira recorda que se trata “de uma casta muito tradicional”, e destaca a grande procura além de muitos pedidos de informação de jornalistas e profissionais. O enólogo Francisco Albuquerque considera tratar-se de “uma aposta inteligente”, que vai permitir explorar um nicho dentro do Vinho Madeira.

O apoio técnico será garantido em todas as fases do processo de produção porque, num certo sentido, a Terrantez é uma uva delicada. Paula Cabaço explica que a casta rende em média menos quilos por metro quadrado do que as outras. Os cachos, com as uvas muito encaixadas, têm uma película muito fina. “Se durante a maturação as condições não são as ideais”, surgindo humidade associada a calor, a uva pode ser contaminada por fungos, que levam a podridões. Francisco Albuquerque concorda que se trata de “uma casta muito difícil”.

Mas quando a produção se faz sem problemas, Francisco Albuquerque não tem dúvidas: “Dá vinhos excecionais”. Paula Cabaço também fala em “vinhos de grande qualidade”.

O enólogo refere que “são talvez dos vinhos mais especiados da Madeira, mais complexos”. É um vinho que se define por ter “um ataque doce e um fim de boca muito seco”. Refere que na Madeira já foram ganhos muitos prémios com a casta Terrantez: “São vinhos que não deixam ninguém indiferente, porque o fim de boca é magnífico”.

Autoria: Paulo Santos | Fotos: Miguel Nóbrega
Fonte: Revista Essential Madeira Islands

23 agosto 2017

Academia das Carnes estabelece intercâmbios em Espanha


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira participou no passado dia 19 de Agosto no XIII Capítulo da “Cofradia dos Viños Rias Baixas - Serenisima Ordre del Lagariño”, que se realizou em Villagarcia de Arousa, província de Pontevedra, Galiza, refere uma nota daquela agremiação.

22 agosto 2017

Participação em Pontevedra no XIII Capítulo da "Cofradia dos Viños Rias Baixas - Serenisima Ordre del Lagariño"


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira participou a 19 de Agosto no XIII Capítulo da "Cofradia dos Viños Rias Baixas - Serenisima Ordre del Lagariño", que se realizou em Villagarcia de Arousa, Província de Pontevedra, Galiza.

Estreito de Câmara de Lobos, 22 de Agosto de 2017. 

21 agosto 2017

Participação na XXV Festa da Ameixa (Amêijoa) do Carril e no Capítulo da "Orde da Ameixa do Carril"

A Academia Madeirense das Carnes / Confraria  Gastronómica da Madeira participou na XXV Festa da Ameixa (Amêijoa) do Carril e no Capítulo da "Orde da Ameixa do Carril", que se realizou a 20 de Agosto em Villagarciosa de Arousa, Ria de Arouxa, Província de Pontevedra, na Comunidade Autonómica da Galiza.













Academia das Carnes representada na Galiza

A Academia Madeirense das Carnes / Confraria Gastronómica da Madeira participou na XXV Festa da Ameixa (Amêijoa) do Carril e no Capítulo da “Orde da Ameixa do Carril”, que se realizou a 20 de Agosto, em Villagarciosa de Arousa, Ria de Arouxa, província de Pontevedra, na comunidade autonómica da Galiza.

17 agosto 2017

Academia Madeirense das Carnes participa em eventos fora da Região


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira estará, no próximo sábado, dia 19 de Agosto, no Capítulo da ‘Cofradia de los Viños Ribas Baixas-Serenisimo Ordre del Lagariño’, que se realiza na província de Pontevedra, na Galiza.

Participa ainda no XVII Capítulo da ‘Cofradia del Hojaldre de Torrelavega’, que se realiza no dia 20 de Agosto, na cidade de Torrelavega, na Comunidade Autonómica de Cantábria, no norte de Espanha.

Fonte: Diário de Notícias da Madeira, edição on-line

Academia Madeirense das Carnes na Galiza a 19 agosto

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira estará presente no próximo fim de semana (dia 19 de Agosto ) no Capítulo da “Cofradia Vinos Rias Baixas-Serenisimo Ordre del Lagariño” que se realiza na localidade de Villagarcia de Areosa, na província de Pontevedra, Galiza.

No dia seguinte, 20 de Agosto, na cidade de Torrelavega na Comunidade Autónomica de Cantábria, no norte de Espanha, a Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira estará presente no XVII Capítulo da “Cofradia del Hojaldre de Torrelavega“.

16 agosto 2017

Presenças em Torrelavega e Galiza a 19 e 20 de Agosto


A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira estará presente no XVII Capítulo da "Cofradia del Hojaldre de Torrelavega", que se realiza no dia 20 de Agosto, na cidade de Torrelavega, na Comunidade Autónomica de Cantábria, no norte de Espanha. 

Fazemos ainda saber de que a Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira no próximo sábado, 19 de Agosto, participa no Capítulo da "Cofradia de losViños Ribas Baixas Serenisimo Ordre del Lagariño", que se realiza na província de Pontevedra, na Galiza.

Estreito de Câmara de Lobos, 16 de Agosto de 2017.

14 agosto 2017

Representação madeirense no XIII Capítulo da "Confrérie de la Noix du Perigord de Naithac en Pays de Hautefort"

A Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira marcou presença no XIII Capítulo da "Confrérie de la Noix du Perigord de Naithac en Pays de Hautefort". A confraria Madeirense voltou mais uma vez a representar a gastronomia madeirense e a promover o destino turístico da Madeira no Sul de França.


Estreito de Câmara de Lobos, 14 de Agosto de 2017.

"13° Capítulo da "Confrérie De La Noix Du Perigord" a 12 e 13 de Agosto 2017. Este evento teve a particularidade de na missa campestre e na cerimónia de entronização pública, na Praça da Igreja, ter contado com muitas entidades políticas regionais e com algumas figuras bem conhecidas da região, quer seja dos Bancos, do sector desportivo e da televisão, como por exemplo a apresentadora do Stade2, um programa televisivo de desporto. Ela mesmo tendo sido campeã de judo em França e vice-campeã europeia, do bem conhecido canal de TV France 2, é membro desta Confraria há 4 anos. 
Mas tudo começou no sábado com algumas visitas e um convívio e jantar com alguns membros das Confrarias presentes, onde tive também a oportunidade de "enfiar" a carapuça ao Sr. Presidente da Câmara, deixando-lhe uma mensagem muito particular e convidando a estar presente na Madeira num dos nossos próximos Capítulos mas também de visitar a Madeira em qualquer outra ocasião."
















Com tecnologia do Blogger.

 

© 2013 Academia Madeirense das Carnes - Confraria Gastronómica da Madeira. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top